Bem vindos ao meu blog! Aqui conto histórias adocicadas de mãe do Guga do Jomi e da Sofi Relato histórias de uma mãe babada/galinha como todas as outras, rendida a uma dedicação total aos 4, pois o pappy tambem conta!

16
Jun 09

 

Que tristeza...... Acabou-se uma semanita de férias......
 
 
 
 
 (Imagem tirada da net)
Depois de uma semana de férias estou mesmo a ver..... A secretária cheia de papel, montes de casos por tratar, os ficheiros espalhados pelo desktop (o que me irrita visceralmente), as barras de ferramentas personalizadas por mim no word e no excel, puff.... Ausentam-se como que por magia (mas porque carga de água é que as pessoas têm de mexer nestas coisas?!?!).... Lá vou ter que fazer tudo de novo
Bolas, abomino o regresso de férias!!!! Ainda bem que a semana é só 4 dias…E daqui a 15 dias vou de FÈRIAS a sério!!!

 

publicado por guguinha às 17:25
sinto-me: Chateada

02
Mai 09

(Imagem retirada da net)

Penso que , quando o homem ou mulher acabam sendo infiéis, é porque ali acabou o casamento.
Ainda não vi um prato ou chávena que parta, a ser colado/a e ficar igual ao original?
Eu penso assim. Não concordo com atitudes que apenas um atira a culpa ao outro, o casamento é a dois e se já não existe química, acabou.
Mas nem só os homens ficam insatisfeitos, as mulheres também. Não é fácil ser esposa/mãe, cuidar de tudo e de todos e se dedicar só ao outro aguardando carinho. Rotina não é fácil!
 É muito cómodo para algumas mulheres/homens viverem uma vida dupla, por isso não se mexem. Há casos e casos, não se  pode generalizar as coisas.
É frequente encontrar casamentos falhados e neste caso um homem, a maioria das vezes formado, considerando em não querer dividir o património e mudar de vida. Acredito que seja o medo do "começar de novo", de terem sido eles traídos, “usados”, terem pena de a mulher não ter como sobreviver, não terem casa, sem o vencimento deles, que os fazem aguentar determinadas situações (para mim intoleráveis).
Há muita coisa envolvida num um casamento, por isso a dificuldade em tomar uma decisão que irá afectar a vida de outras pessoas, como a dos filhos. Mas se as coisas estão mesmo mal, não tem como todos estarem bem.
Não acho que valha a pena viver frustrado, engolir sapos, tolerar todas as provocações possíveis e imaginárias, não é nada saudável.
Uma relação se faz a dois e ninguém tem o dever de ser responsável pela felicidade/infelicidade do outro, mas tem que haver colaboração, de ambas as partes, para dar certo. Uma conversa séria, o famoso “discutir a relação”, apesar de ser recordado como piada e ironia em filmes e programas de televisão, é essencial para pôr os pontos nos “is”. Abrir o jogo, dizer o que incomoda, para que a pessoa não volte a repetir, encontrar uma forma de agir que não magoe o outro, evitaria muitos conflitos nos casamentos. Para quê complicar e se negar a tentar mudar se as coisas podem ser resolvidas com uma (nada simples) conversa? Expor o que sentimos, dói, mas às vezes este é o único caminho. Quando nada resulta, e se torna insuportável, então é melhor pôr um ponto final mesmo.
Desculpem o desabafo, mas neste momento temos um casal amigo, bem ,a ela já não sei bem o que é, talvez louca, que faz as coisas mais inacreditáveis,tem vida dupla, chantageia os filhos, ameaça de não gostar mais deles se sairem com o pai. Agredi verbalmente, e fisicamente o marido ( e isso eu vi! presenciei, fiquei ,sem palavras).
Sinto-me triste por ele e pelos filhos...
publicado por guguinha às 18:55
sinto-me: Muito chateada

A familia completa

My Family from WiddlyTinks.com
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28
30


Onde estou
Awareness Ribbons Customized - ImageChef.com
Quem me visita e visitou
online
eXTReMe Tracker
blogs SAPO