Bem vindos ao meu blog! Aqui conto histórias adocicadas de mãe do Guga do Jomi e da Sofi Relato histórias de uma mãe babada/galinha como todas as outras, rendida a uma dedicação total aos 4, pois o pappy tambem conta!

27
Mar 09

( Imagem tirada da net)

 

É interessante.
Passamos a vida a explicar aos nossos filhos que devem aprender com os adultos, mas não nos recordamos que também nós deveríamos aprender com eles.
Já me aconteceu algumas vezes, descobrir com os meus filhos algumas provas de que, se calhar, eu, como mãe, adulta e que me considero responsável, já devia saber.
Uma foi com a minha filha mais velha. Um dia que o irmão estava mais "chato" e que a magoou, ela encolerizou-se com ele. E ele, claro, pediu-lhe desculpa. Ela, do alto dos seus 13 anos, disse-lhe “as desculpas não se pedem, evitam-se”. E eu, que ia intrometer-me, calei-me e, enquanto esperava pela reacção do outro lado, pensei para com os meus botões – ora ai está. Porque não pensamos nós, adultos, nisto? Quantas vezes fazemos coisas que sabemos que estão erradas e depois tentamos que, com um pedido de desculpas,  tudo fique remediado. Erro crasso. Primeiro, porque lá está, as desculpas evitam-se. Depois porque, mesmo após pedidas as desculpas, as atitudes ficam. E já feriram alguém. Que pode perdoar mas dificilmente esquecerá. Sempre tentei adaptar a minha vida a este princípio. Não fazer aos outros o que não gosto que me fizessem a mim. Dessa vez, com a minha filha, aprendi a acrescentar que devo evitar ter de pedir desculpa.
 
O meu filho, há uns anitos, deu-me uma outra experiência. Daquelas que eu tive de engolir em seco!
Foi fácil!
Os meus filhos raramente jogavam com a X-Box. Preferiam ter outras actividades. Mas apeteceu-lhes jogar. Só que a consola estava, normalmente, desligada. Só o pappy a sabia ligar. Como o pappy estava a dormir, o Jomi pediu-me que fosse eu a ligar. Eu respondi –" não sei fazer isso. Tens de esperar pelo pappy!"
E o meu filho, cheio de motivo, disse-me: "mãe, se não experimentares não sabes."
Fiquei sem palavras, sem reacção. Ou melhor, reagi sim, peguei nos cabos e fui tentar. Mas, porque não é sempre assim? Porque não tentamos sempre?
 Mais uma lição assimilada e que passou a fazer parte dos meus princípios. Penso que nunca mais terei coragem de dizer que não sei, sem tentar primeiro!
publicado por guguinha às 01:08
sinto-me: Sempre a aprender

Como se costuma dizer: estamos sempre a aprender. E, às vezes, essas lições de vida vêm de onde menos as esperamos!
Miss M a 27 de Março de 2009 às 10:06

Podes crer. Só quem acha que já sabe tudo se pode caracterizar como um "falhado" . A vida é uma constante aprendizagem. Beijinho Guguinha
guguinha a 30 de Março de 2009 às 22:35

E eles são óptimos para nos fazer enfrentar a verdade!

Bom fim-de-semana!
*.*
guiga a 27 de Março de 2009 às 15:43

Sim, pois as crianças não conseguem ser hipócritas, por isso ás vezes até magoam ,sem intenção, por serm tão verdadeiras. No entanto a das desculpas evitam-se usu-a frequentemente. Beijinho :)))
guguinha a 30 de Março de 2009 às 22:37

Olá bom dia encontrei o blog numa visita de blogs e espreitei adorei o que li. Eu tenho uma princesinha de 2 anitos e meio e todos os dias aprendo coisas pequeninas com ela.
Beijos
Feito de arco-iris a 30 de Março de 2009 às 10:35

A familia completa

My Family from WiddlyTinks.com
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
14

17
18

25
26
28

29
30


Onde estou
Awareness Ribbons Customized - ImageChef.com
Quem me visita e visitou
online
eXTReMe Tracker
blogs SAPO